UM POUCO SOBRE A CIDADE VIVA COMO ESPAÇO DE INVENÇÃO...  

 

Dispositivos de Regulação e Normatização

 

Como um de muitos exemplos que nos atravessam o tempo todo em nosso cotidiano (escolar, mas também familiar), trago um pequeno texto de um aluno, sobre o “MEIO AMBIENTE”, no qual podemos nos reconhecer com facilidade, e que traz claramente as marcas dos dispositivos de regulação e de normatização: “NÃO DEIXAR ÀGUA PARADA, PARA NÃO CRIAR MOSQUITO DA DENGUE”. Vejamos outro texto com as mesmas marcas de impessoalidade (uso do infinitivo), palavras de ordem, normativas e com um típico sentido de interdição, tão comum em nosso cotidiano: “O trânsito. Não pode ter briga no recreio. Não pode empurrar na fila. Não pode jogar lixo no chão”. A comparação desses escritos com o texto que segue na nota 8, abaixo, nos dá bem a dimensão do quanto a interdição é capaz de sufocar qualquer possibilidade de invenção, deixando à mostra um texto pobre, sem qualquer originalidade ou marca estilística.

 

Obs: Textos seguem a escrita original.

Volta para Página Inicial

Volta para um pouco sobre a cidade viva como espaço de invenção...